Multicolour string

SUPORTE

Perguntas & Respostas

 

Financiamento

As condições para subsidiar postos de carregamento variam muito. Sugerimos que consultes localmente se e em que condições podes receber uma autorização para um carregador móvel ou estacionário.

Tens de apresentar um pedido de concessão a uma autoridade correspondente no teu país. Lembra-te de ler as condições de receção da subvenção antes.

Informação geral do produto

Os nossos carregadores podem carregar todos os modelos de veículos elétricos a bateria (BEV) e veículos elétricos híbridos plug-in (PHEV) de todas as marcas automóveis.

A obtenção ou não de permissão para utilizar o go-eCharger depende dos regulamentos do país. Também pode depender do modelo go-eCharger que pretendes utilizar. Contacta previamente o teu operador de rede elétrica local para saber se o carregador necessita de registo ou aprovação. 

O go-eCharger tem uma relação preço/desempenho imbatível. O nosso go-eCharger HOMEfix 11 kW foi até votado o produto mais barato e melhor do ADAC no teste de Wallbox 2022. Vem com uma aplicação intuitiva, que permite ajustar várias definições e controlar completamente o processo de carregamento remotamente. Os go-eChargers oferecem inúmeras funções que te permitem carregar de forma ainda mais sustentável e financeiramente mais vantajosa. É claro que também podes carregar o teu carro com a estação de carregamento go-e tão facilmente como um smartphone. Além disso, o modelo go-eCharger HOME+ é móvel, o que significa que podes levá-lo contigo quando fores viajar ou acampar.

Apenas podes carregar a bateria de um carro à taxa de carregamento máxima que o carro possa aceitar. Por isso, se a velocidade de carregamento do teu VE for 11 kW ou inferior, o go-eCharger 11 kW é uma boa escolha. Se for mais elevada, opta pelo go-eCharger de 22 kW para obter um carregamento mais rápido. 
Nota: Uma vez que o go-eCharger 22 kW também pode ser utilizado permanentemente com 11 kW, podes optar por não limitar à tua escolha de veículos elétricos futuros. Se a ligação da tua casa não for dimensionada para correntes de carregamento elevadas e a expansão estiver associada a custos elevados, a variante de 11 kW do go-eCharger seria a escolha certa.

A principal diferença entre os dois tipos de carregadores é que HOME+ é uma Wallbox que pode ser utilizada de forma móvel, enquanto o HOMEfix é estacionário. O primeiro permite levar o carregador contigo para onde quer que vás, enquanto com o segundo tens mais probabilidades, na maioria dos países, de receber subsídios.

Instalação

Não é necessário um eletricista para o go-eCharger HOME+ e o Gemini flex, pois podes simplesmente ligá-los a uma tomada adequada e começar a carregar.

É necessário um eletricista para o go-eCharger HOMEfix e Gemini, uma vez que estes devem ser ligados ao sistema elétrico do edifício por um profissional. 

Não, apenas o suporte de parede tem de ser aparafusado.

A proteção contra as intempéries é sempre uma vantagem, mas não é necessário se usares o go-eCharger. A wallbox está protegida com IP54 contra pó e água e pode funcionar a uma temperatura de até +40 °C. 

Recomenda-se proteger o carregador da luz solar direta. No entanto, graças aos dispositivos de segurança adicionais, a potência de saída do aparelho diminui automaticamente quando a temperatura sobe, para evitar o sobreaquecimento. 

Nota: Apenas é aceitável a colocação vertical do go-eCharger. Caso contrário, existe o risco de entrada de água na tomada do carregador do tipo 2. 

O go-eCharger possui um módulo de proteção RCD integrado com deteção de corrente contínua (30 mA CA e 6 mA CC). Portanto, apenas é necessário um RCD de tipo A no lado do edifício, a menos que os regulamentos locais digam o contrário. Independentemente disto, tem de ser ligado um disjuntor miniatura a montante de cada carregador.

O disjuntor miniatura é um fusível que se desliga em caso de sobrecarga. Protege o cabo de danos provocados pelo aquecimento devido a corrente excessiva. Para uma corrente máxima de 32 A, recomendamos uma secção transversal do cabo de, pelo menos,

  • 6 mm2 para cabos montados na superfície (não instalados numa parede)
  • 6-10 mm2 para cabos em tubos de instalação
  • 10 mm2 para cabos em paredes com isolamento térmico. 

Para 16 A, recomendamos uma secção transversal do cabo de, pelo menos, 

  • 2,5 mm2 para cabos montados na superfície
  • 4 mm2 para cabos em tubos de instalação
  • 10 mm2 para cabos em paredes com isolamento térmico. 

No entanto, cabe ao eletricista decidir de acordo com a situação local. 

Um instalador também deve prestar atenção ao fator de simultaneidade!  Ao calcular a seção transversal do cabo, o fator de simultaneidade deve ser ajustado para 1. Isto significa que o eletricista deve assumir que o cabo está sempre totalmente carregado.

O eletricista deve ter em conta as seguintes dimensões:

  • 32 A trifásico = disjuntor em miniatura de 3 ou 4 polos 32 A (go-eCharger 22 KW).
  • 16 A trifásico = disjuntor em miniatura 3 ou 4 polos 16 A (go-eCharger 11 KW).
  • 32 A monofásico = disjuntor miniatura de 2 polos 32 A (go-eCharger 22 KW).
  • 16 A monofásico = disjuntor miniatura de 2 polos 16 A (go-eCharger 11 KW).

Nota: O disjuntor miniatura pode ser utilizado com as características B ou C.

Se tiveres o go-eCharger com uma corrente de carga máxima de 22 kW, podes selecionar uma corrente de 6 A a 32 A. Se tiveres o go-eCharger com uma corrente de carga máxima de 11 kW, podes selecionar entre 6 A e 16 A. Em ambos os casos, também podes limitar a sua potência a uma baixa potência. Se pretenderes utilizar o go-eCharger na variante de 22 kW com a potência de carregamento total, é necessário um fusível de 32 A, na variante de 11 kW é necessário um fusível de 16 A.

Nota: Quanto mais amperes estiverem definidos, mais rápida é o carregamento do carro. Com amperagem mais baixa, carregas de forma mais sustentável, o que pode ter um efeito positivo na vida útil da bateria e na estabilidade da rede elétrica. A potência de carregamento real é limitada pelo carro e pode, por isso, ser mais baixa.

Os ajustes atuais podem ser feitos através da aplicação go-eCharger ou do botão no carregador. Se utilizares a aplicação, podes alterar a potência em passos de 1 ampere. 

Não é possível uma ligação de 2 fases do go-eCharger. Só pode ser ligado a uma ou três fases. O aparelho verifica as fases na entrada e, se a ligação for de 2 fases, passa para o modo de falha (falha FASE).

Dependendo do equipamento do carregador de bordo do veículo elétrico, o go-eCharger carrega uma, duas ou três fases. Pede ao teu concessionário especializado para saber qual é a potência de carregamento exata e o número de fases utilizadas para carregar o veículo. 

Para os go-eChargers com números de série a partir de CC1- ou CM-02-, o número de fases a utilizar para o carregamento não pode ser alterado. No entanto, o carregamento monofásico pode ser forçado com um adaptador adequado (apenas possível para o go-eCharger HOME+) ou com um cabo de carregamento monofásico. Para os go-eChargers da série HOME com o hardware mais recente (o número de série começa com CM-03-), é possível alternar entre carregamento monofásico e trifásico na aplicação.

Nota que o go-eCharger é apropriado para carregar baterias de acionamento do veículo a gás (por exemplo, baterias de chumbo-ácido) apenas em salas bem ventiladas. Em caso de dúvida, consulta o fabricante do teu veículo. 

Usar o carregador

O go-eCharger é adequado para carregar todos os veículos elétricos com uma ficha do tipo 2. Os veículos com fichas do tipo 1 também podem ser carregados com o go-eCharger através de um adaptador ou cabo do tipo 1 ao tipo 2.

O Plug&Play permite utilizar o carregador imediatamente após a ligação à corrente.

O go-eCharger HOMEfix pode ser utilizado imediatamente após ser instalado por um eletricista qualificado.

Se tiveres o go-eCharger HOME+, tens de o ligar a uma tomada e ligá-lo ao teu carro com um cabo do tipo 2. Se tiveres o go-eCharger HOMEfix, podes começar a utilizá-lo depois de ser instalado por um eletricista. Basta ligar o cabo tipo 2 ao carro e ao carregador e o carregamento começará automaticamente (definições por defeito).

Podes alterar esta definição através da aplicação, o que significa que o processo de carregamento não será iniciado até que desbloqueies o carregador através da aplicação ou do chip RFID.

O processo de carregamento termina automaticamente quando as baterias do carro são carregadas ou quando ocorre um evento definido por ti através da aplicação. Também podes parar o carregamento prematuramente através da aplicação (separador "Carregar") ou simplesmente desligando o cabo de carregamento do lado do veículo.

Não desligues o go-eCharger da fonte de alimentação durante o carregamento. Tem também em atenção que o cabo do tipo 2 só pode ser desbloqueado enquanto o go-eCharger ainda tiver energia; exceto para dispositivos com o hardware mais recente (número de série a partir de CM-03- / versão de hardware V3) quando configurado em conformidade através da aplicação.

Sim. Todas as funções principais, tais como iniciar/parar o carregamento e ajustar a corrente de carregamento, podem ser executadas sem a aplicação go-eCharger. 
Se quiseres alterar as definições básicas do dispositivo, utilizar as funções de conforto, ler o medidor de eletricidade interno ou controlar o carregador remotamente, necessitas da aplicação go-eCharger. Poderás, então, controlar o dispositivo num alcance próximo através do ponto de acesso integrado. Para controlar o carregador à distância, tens de ligar o dispositivo à tua rede Wi-Fi.

Não, uma vez que a aplicação também pode ser utilizada através do ponto de acesso incorporado no carregador. Apenas o controlo remoto e algumas funções, tais como as tarifas elétricas flexíveis ou o equilíbrio da carga, não são possíveis sem Wi-Fi.

Para isso, basta descarregares a aplicação go-eCharger para o teu smartphone e, a partir do segundo smartphone, adicionares o teu carregador através do "+" azul na aplicação com a opção "Adicionar um go-eCharger já configurado". Introduz a ficha do respetivo carregador (se disponível no cartão de reinicialização), caso contrário utiliza a palavra-passe do dispositivo que definiste (a partir de carregadores com o número de série CM-03- /versão de hardware V3), na aplicação.

A potência de carregamento pode ser definida através do botão no dispositivo (5 valores predefinidos) ou através da aplicação. Os valores dos botões podem ser definidos na aplicação entre 6 e 16 ou 32 amperes (dependendo da potência máxima de carregamento do carregador - 11 ou 22 kW). Se quiseres alterar a potência de carregamento durante o processo de carregamento, tens de utilizar a aplicação.

Os LEDs não podem ser desativados durante o processo de carregamento. No entanto, os LEDs podem ser desligados após 10 segundos no modo de espera. A sua luminosidade pode ser ajustada na aplicação.

Na aplicação, é possível ver a quantidade de energia carregada durante um processo de carregamento, bem como a quantidade total de kWh carregada. Estas informações estão disponíveis no separador "Carregar" da aplicação. Além disso, a energia de carregamento pode ser apresentada para todas as contas de utilizador (chips de RFID - máximo 10). Na versão mais recente do go-eCharger (números de série que começam na versão CM-03- / hardware V3), também é possível transferir um histórico de carregamento detalhado.

Nem o go-eCharger HOME+ nem o go-eCharger HOMEfix possuem um metro compatível com MID (Diretiva de Instrumentos de Medição). Em determinados países, é necessário um metro com certificação MID para vender eletricidade.

O go-eCharger é fornecido com uma peça em U, que pode ser fixada à parede diretamente acima do carregador. Desse modo, o equipamento não pode mais ser removido do suporte de parede. Além disso, pode ser colocado um cadeado (não incluído no âmbito de fornecimento).

Nota: O cabo de carregamento que liga o carregador e o veículo é bloqueado durante o processo de carregamento e no modo predefinido depois de concluído o carregamento. Isto garante que ninguém o poderá utilizar até que desbloqueies o cabo.

Com base na nossa experiência, a capacidade de carregamento tem um efeito quase impercetível no envelhecimento da bateria, especialmente ao carregar com corrente alternada. Existem muitas outras reclamações que circulam na Internet, mas estas baseiam-se principalmente em tecnologia de baterias antigas e baixa capacidade das baterias.

A chamada taxa C é um bom ponto de referência para a capacidade de carregamento, que é suave para a bateria. Descreve a relação entre a corrente de carregamento e a capacidade da bateria. Supõe que carregas o teu carro com uma corrente de 22 kW e que a bateria tem uma capacidade de 22 kWh. Assim, C = 1. Se a capacidade da bateria for reduzida a metade e a corrente de carregamento permanecer a mesma, então C = 2. Quanto maior for o valor C, maior será o efeito do processo de carregamento na vida útil da bateria. No entanto, isto só pode ser determinado com uma quilometragem muito elevada. Quando C = 1, a redução da vida útil da bateria é praticamente impercetível.

Ligação FV / Tarifas de flexibilidade / Equilíbrio de cargas

Existe uma API REST HTTP que pode ser usada através de uma ligação Wi-Fi local. A API é uma interface aberta que permite que outros dispositivos inteligentes comuniquem com o carregador. Além disso, a API Modbus TCP está integrada no go-eCharger a partir da versão de firmware 0.40. Tal como a API para operadores de rede da go-e, proporciona um acesso autorizado ao go-eCharger por parte do operador da rede elétrica para controlar a alimentação elétrica da rede.

Sim. Com o go-eCharger, podes utilizar a energia em excesso do sistema fotovoltaico para carregares o teu veículo elétrico. O pré-requisito para tal é que o carregador esteja ligado a um sistema de gestão de energia adicional, que tenha uma API aberta como o go-eCharger. A comunicação entre o carregador e o inversor FV pode ser estabelecida através deste sistema de gestão de energia. São necessários conhecimentos de programação para a configuração. Entre os gestores de energia compatíveis incluem-se, por exemplo, Home Assistant, ioBroker, openHAB, openWB Loxone, Solar Manager, GridX ou Alpiq. Se não conseguires programar o sistema por ti mesmo, podes pedir a um especialista em energia solar que o faça. go-e não oferece uma ligação pronta a usar. Podes encontrar a documentação da API aqui

Com o go-eCharger, um carro também pode ser carregado com tarifas elétricas flexíveis. Atualmente, apenas a tarifa a partir de aWATTar (apenas para a Áustria e Alemanha) está integrada para a deteção automática dos horários de carregamento mais baratos. Seguir-se-ão outras tarifas de eletricidade flexíveis. Se quiseres carregar o teu go-eCharger através de uma tarifa atual flexível, precisarás de um metro inteligente. Se ainda não estiver instalado, contacta o teu operador de rede. Deves também mudar do teu atual fornecedor de eletricidade para um fornecedor cuja tarifa de eletricidade esteja integrada no go-eCharger.

O processo de carregamento efetivo com uma tarifa flexível pode ser definido através da aplicação go-eCharger. Ao utilizar esta função, o go-eCharger procura automaticamente as horas consecutivas mais baratas para carregar o teu veículo eléctrico ou horas nas quais o preço desça abaixo de um determinado nível. 
 

Não é necessário hardware adicional para equilíbrio de carga estática com várias estações de carregamento. Através da app, as estações de carregamento podem ser combinadas num grupo de equilíbrio de carga, permitindo que as estações troquem dados entre si através da cloud (é necessária a ligação Wi-Fi). Desta forma, dependendo do número de veículos a carregar, a potência de cada posto de carregamento individual é automaticamente regulada para baixo ou para cima. As prioridades dos carregadores individuais podem ser definidas na aplicação.

Funções do produto

O go-eCharger possui uma tomada do tipo 2. Precisas de um cabo de carregamento adequado com uma ficha de tipo 2. A maioria dos veículos eléctricos novos está equipada com uma tomada de tipo 2. Os veículos mais antigos com uma tomada do tipo 1 também podem ser carregados com o go-eCharger utilizando um cabo adaptador do tipo 1 para o tipo 2. Isto significa que o go-eCharger pode ser utilizado de forma universal. Carrega todos os veículos elétricos aprovados para a Europa.

Assim que um go-eCharger estiver montado ou instalado, podes iniciar imediatamente o primeiro processo de carregamento. Com um go-eCharger portátil, nem precisas de um eletricista para o instalar.

Os adaptadores originais go-e permitem o carregamento de veículos elétricos com o go-eCharger HOME+ ou o go-e Charger Gemini flex em qualquer tomada. Seja em casa na tomada trifásica de 16 A, no porto e no parque de campismo a azul CEE de 16 A ou ao visitar familiares numa tomada doméstica de 16 A. Na variante de 22 kW do go-eCharger, uma redução automática da corrente de carga para 16 A através da ligação do adaptador só é possível em combinação com adaptadores originais. Recomenda-se uma corrente de carga máxima de 10 A para a utilização com fichas domésticas, uma vez que muito poucas tomadas domésticas/instalações elétricas são adequadas para o funcionamento contínuo com 16 A! As normas nacionais podem prescrever correntes de carga inferiores.

Estas interfaces de comunicação oferecem muitas vantagens adicionais. Se desejares, podes ligar o go-eCharger à Internet (controlo via aplicação através de uma rede Wi-Fi existente) ou controlá-lo diretamente através do hotspot local para beneficiar de outras funções.

A nossa aplicação gratuita permite-te verificar o número de kWh carregado, ajustar a corrente, configurar várias funções adicionais e até controlar o processo de carregamento remotamente. Os carros também podem ser carregados sem uma aplicação na configuração padrão.

O acesso à estação de carregamento pode ser restringido e personalizado usando a função RFID. Desta forma, ninguém poderá iniciar um processo de carregamento sem autorização. Além disso, todos os processos de carregamento podem ser guardados em até 10 contas. O RFID permite autorizar, avaliar taxas para diferentes utilizadores e exportá-las como ficheiro CSV. Por predefinição, podes carregar sem autorização RFID. Isto pode ser alterado na app.

Através da app go-eCharger, é possível personalizar várias configurações. Por exemplo, as cores dos LEDs do carregador. Brilhante ou colorido - exatamente como desejas. A variante de fecho da caixa também pode ser configurada de acordo com as necessidades pessoais. Além disso, cada cartão RFID pode ser atribuído a uma conta pessoal, o que permite ler a corrente carregada para cada cartão/utilizador.

O programador pode ser utilizado para determinar quando iniciar o carregamento. Isto é ideal para carregar à noite ou de manhã cedo, por exemplo (poupa o potencial devido às tarifas de eletricidade noturna). A função também compensa o ambiente, tal como a função de eletricidade flexível. Ao não carregar em alturas de pico, os picos de tensão podem ser reduzidos e a corrente em excesso pode ser usada à noite.

Instalar atualizações é uma grande vantagem dos carregadores ligados à Internet. Não tens de enviar o go-eCharger ao serviço para instalar atualizações. As atualizações são fáceis de inicializar através da aplicação.

RCD de tipo A, habitualmente utilizados em edifícios, protegem contra correntes de falha sinusoidais e pulsantes. No entanto, devido à construção de alguns carregadores de bordo em veículos elétricos (por exemplo, Renault ZOE), também podem ocorrer falhas de corrente contínua. Por isso, é necessária uma proteção adicional contra falhas de corrente contínua no edifício ou na estação de carregamento sob a forma de um módulo de proteção do tipo B RCD ou RCD. O módulo de proteção RCD integrado no go-eCharger desliga a estação de carregamento em caso de corrente de falha gerada pelo carro, garantindo assim o nível de segurança mais elevado possível. Portanto, apenas é necessário um RCD de tipo no lado do edifício, a menos que os regulamentos locais digam o contrário.

O go-eCharger oferece segurança em caso de tomadas incorretamente instaladas. Se uma fase (condutor neutro ou ligação à terra) não estiver corretamente ligada, o sistema desliga-se e evita, assim, danos no veículo.

A rede elétrica não está ligada à terra em todo o lado. Especialmente em áreas com elevados requisitos de segurança ou em áreas com solos permafrosos, são utilizados transformadores de isolamento para eliminar o risco de choque elétrico nos dispositivos finais. Para que o go-eCharger também funcione nestas regiões, a deteção de terra pode ser desativada. Também funciona com redes onde não é possível detetar uma ligação à terra (por exemplo, na Noruega).

IP (Proteção Internacional) define a proteção de equipamento elétrico para diferentes condições ambientais. Por exemplo, a entrada de corpos estranhos (como poeiras) e água. Com classe de proteção IP54 (série HOME) ou IP55 (série Gemini), o go-eCharger é adequado para uma utilização contínua no exterior. A unidade está protegida contra salpicos de água e pode suportar chuva forte.

O go-eCharger pode utilizar a corrente excedente de uma instalação fotovoltaica através de API (uma interface de software aberta - é necessário um sistema de gestão de energia adicional para a comunicação com o inversor) para carregar um carro elétrico. Para tal, o carregador e o sistema de gestão de energia comunicam através da interface API (programação por pessoal qualificado necessário). Aqui, podes transferir a API devidamente documentada da caixa de carga para a comunicação entre a caixa de carga e o inversor fotovoltaico.

No caso de várias estações de carregamento por casa (por ligação à rede), o equilíbrio da carga é indispensável. Ao carregar vários veículos elétricos em simultâneo, as ligações domésticas normais são sobrecarregadas. As caixas de carregamento comunicam entre si com a ajuda do equilíbrio da carga. Isto garante uma distribuição de energia eficiente e segura.

Controlo de acesso / RFID

A função RFID foi concebida para personalizar o acesso à estação de carregamento. Deste modo, ninguém poderá iniciar o processo de carregamento sem autorização.

O controlo de acesso pode ser definido através da aplicação de modo a ser necessária uma identificação RFID antes do carregamento. Se a identificação for desconhecida, o carregador não é libertado para carregamento.

O go-eCharger pode registar até 10 cartões/chips.

A maioria dos cartões ou chips RFID podem ser treinados para o go-eCharger. Isto significa que também pode utilizar, por exemplo, o seu cartão EC/eletrónico. Se não for possível treinar o cartão RFID, este não transmite à frequência necessária de 13,56 MHz.

Manutenção e cuidados

Não, os carregadores da go-e não necessitam de manutenção.

Se tiveres um problema técnico com o go-eCharger e não tiveres encontrado uma solução no manual do utilizador, nas Perguntas Frequentes ou no guia de resolução deproblemas, deverás contactar primeiro a nossa assistência técnica. Isto pode ser feito por e-mail, formulário de apoio no nosso website ou telefone. Em muitos casos, podemos resolver o problema sem necessidade de reparação.

Contacta o serviço de apoio ao cliente da go-e antes de desmontares o carregador e aguarda a sua decisão sobre como proceder com o caso de serviço. Por motivos de segurança, um go-eCharger parado e alegadamente defeituoso só pode ser desmontado por um eletricista qualificado. 

Limpa o aparelho com um pano humedecido com água. Não limpes o carregador com uma lavadora de alta pressão ou água corrente, para evitar danos.

As informações sobre o firmware e as atualizações (atualizações do software) encontram-se no separador "Internet".

As atualizações requerem que o carregador esteja ativamente ligado à Internet. Assim que estiver ligado à Internet, as possíveis atualizações são visíveis no separador "Internet" da aplicação.

Os fusíveis finos são necessários apenas para a série go-eCharger HOME. Já está incluído um fusível de substituição com a unidade. É necessário um fusível cerâmico 2 A com uma capacidade de rutura de pelo menos 1500 A. Os fusíveis estão disponíveis na nossa loja. 

Comprar na Loja go-e

Contacta-nos através do nosso endereço de e-mail office@go-e.com e inclui uma cópia da fatura.

Assim que a tua encomenda tiver saído do nosso armazém, receberás um número de seguimento por e-mail que te permite verificar o estado da entrega.

Os clientes finais podem reclamar os seus direitos de garantia até 2 anos.

Deverás contactar-nos para: office@go-e.com. Não te esqueças de indicar o teu endereço. Somos obrigados a colocá-lo no rótulo de devolução.

Beanstalk in background

Alguma dúvida? Teremos todo o prazer em esclarecê-las!

Escreva-nos diretamente ou contacte o nosso apoio por telefone.